Sábado, 10 de Março de 2012

Um “porquê” que grande perplexidade me vem provocando

Na verdade o “porquê – dentre inúmeros outros “porquês” – que, ao longo da minha agora madura existência - dantes nem “tempo tinha para pensar nisso! - me vem preocupando é o “porquê” de eu ter nascido “eu”!

Penso que não errarei muito se afirmar que, desde que o mundo é mundo e o homem existe e pensa – grande Descartes! - já muitos homens se puseram a si próprios esta questão, tal como eu agora, sem a valorarem ao ponto de sobre ela – que eu saiba! – terem discorrido ou preocupado muito.

Na verdade, o facto de cada um de nós ter nascido “ele mesmo” não me parece que tenha preocupado muito a humanidade ao ponto de os ditos fiolósofos, mesmo os gregos, sobre esta questão se terem debruçado muito, escrutinando-a o mais possível e procurando, para ela, que parece ser bem simples,  uma resposta concreta se resposta concreta existe para lhe  dar.

Se eu, porventura, a fizesse a duas pessoas dadas a estas coisas, responder-me-ia o cientista físico que, de um acto de procriação estabelecido pela mãe-natureza – acho que aqui deveria escrever-se “Natureza” com maiúscula – e mercê do encontro de dois elementos extremamente complexos e curiosos, um óvulo e um espermatozoide mais persistente ou com mais sorte, ter-se-á formado um embrião que passou a feto indiferenciável, depois a nascituro com sexo reconhecível, até que, finalmente, libertando-se das ligações materiais e físicas que o prendiam ao ventre materno, veio a este mundo encher pela primeira vez os então ainda virgens pulmões com o ar que terá de respirar durante toda a vida para mantê-la e que muito pouco variável poderá ser nos elementos essenciais que entram na sua composição; já o metafísico já me daria uma resposta diferente, se não na sua composição fundamental, pelo menos no que toca às origens e finalidades dessa nova existência alicerçando convictamente as suas afirmações nos dogmas da sua própria formação.

Todavia, o que nem um nem outro me teriam respondido seria à pergunta inicialmente formulada: - “porquê eu”?

Ora, parece-me bem que é precisamente esta questão que, sem que o saibam, vem desde há muito sendo explorada pelos videntes, cartomantes, astrólogos e outros que se arrogam no poder – ou ciência, segundo os mais convictos afirmam - de “ver” nos astros ou nas cartas o nosso futuro de vida, os nossos receios e anseios, as nossas vitórias e derrotas, em suma: - o nosso destino.

Será que não obterei nunca a resposta que ora busco?

publicado por Júlio Moreno às 20:08
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Mais uma vez mão amiga me...

. Um tristíssimo exemplo de...

. A greve como arma polític...

. A crise, o Congresso do P...

. O PRESIDENTE CAVACO SILVA

. Democracia à portuguesa

. ANTÓNIO JOSÉ SEGURO

. Cheguei a uma conclusão

. A grande contradição

. O jornalismo e a notícia ...

.arquivos

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.favorito

. Passos Coelho: A mentira ...

. Oásis

.links

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds