Quinta-feira, 8 de Novembro de 2012

Talvez o Estado de Israel...

 
 
  
 

Sabe-se como é  o clamoroso estado a que chegaram nos dias de hoje a economia e as finanças portuguesas, mas sabe-se também que o cinema nacional vai prestar finalmente o tributo de gratidão e de elementar justiça a esse “desconhecido” mas exemplar cidadão português que foi Aristides de Sousa Mendes que, desobedecendo a Salazar – no tempo em que este se via forçado a jogar com um pau de dois bicos para preservar a neutralidade portuguesa durante a II Guerra Mundial, o que alcançou muito embora se lhe reconheça o seu particular pendor pró-germânico – salvou da morte certa milhares e milhares de judeus a quem, em Bordéus, onde era então consul e à revelia das ordens que recebia de Lisboa, passou os milhares de vistos que garantiram outros tantos passaportes para a vida de milhares cidadãos que, de outra forma, estariam inexoravelmente condenados às camaras de gás de Aushwitz, Dachau ou Treblinka.

 

Sabido tudo isto e também que a casa onde Aristides Sousa Mendes nasceu, em Cabanas de Viriato, se encontra no mais completo estado de ruina não tendo, na conjuntura actual, o Estado português quaisquer possibilidades de proceder ao seu restauro – como seguramente seria a sua vontade – aqui se recorda ao governo israelita o seu dever moral de contribuir aqui para fazê-lo, saldando, assim, uma pequena parte da enorme dívida que tem e terá para com este modesto estado peninsular hoje na mó de baixo, como soi dizer-se, mas que em breve regressara à mó de cima e com isso recordando o que se deverá passar quando, sem poder ajudar, se necessita de ajuda!

 

Aristides de Sousa Mendes, o homem que bem poderia ter vivido uma vida calma e cheia de mordomias que o seu estatuto diplomático lhe conferia, preferiu viver privado do exercício da sua profissão de advogado e morrer na miséria porque a sua dignidade, honra e princípios morais assim lho impunham.

 

Assim, o mínimo que a justiça poderá fazer será honrar o seu nome e o dos seus e rabilitar aquela que foi a sua casa e serviu de abrigo a tantas famílias judaicas, restaurando-a e colocando-lhe uma lápida que recorde o seu nome como um dos que são verdadeiramente dignos de figurar entre os da mais fina estirpe dos portugueses mais ilustres.

 

Da modestia desta minha posição de mero escrevinhador de lembranças e de ideias aqui lhe presto desde já o preito da minha mais sentida homenagem.

 
 
publicado por Júlio Moreno às 16:26
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Mais uma vez mão amiga me...

. Um tristíssimo exemplo de...

. A greve como arma polític...

. A crise, o Congresso do P...

. O PRESIDENTE CAVACO SILVA

. Democracia à portuguesa

. ANTÓNIO JOSÉ SEGURO

. Cheguei a uma conclusão

. A grande contradição

. O jornalismo e a notícia ...

.arquivos

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.favorito

. Passos Coelho: A mentira ...

. Oásis

.links

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds