Domingo, 18 de Novembro de 2012

À consideração de quem me leia...

Tal como é meu costume, à consideração de quem tiver a paciência de ler o que por aqui vou escrevendo, seguidamente transcrevo o que, muito a propósito, segundo a minha opinião, mão amiga me enviou por correio electrónico.

 

SEGUE O TEXTO:

 

“As pessoas tem memória curta e uma tendência de emprenhar pelos ouvidos se for uma campanha bem organizda, como o mito das cigarras portuguesas e das formiguinhas alemãs. Mas a história não esquece. Aqui vai, para relembrar a alguns, alguns factos e verdades esquecidas.

“Uma lição de História pouco divulgada...
  Aqui vai:
 - Em 1953, a Alemanha de Konrad Adenauer entrou em   default, falência, ficou Kaput, ou seja, ficou sem dinheiro para fazer mover   a atividade

económica do país - tal qual como a Grécia atualmente.
 - A Alemanha negociou 16 mil milhões de marcos em dívidas de 1920 que entraram   em incumprimento na década de 30 após o colapso da bolsa em Wall Street.
 - O dinheiro tinha-lhe sido emprestado pelos EUA, pela França e pelo Reino Unido.
 - Outros 16 mil milhões de marcos diziam respeito a empréstimos dos EUA no   pós-guerra, no âmbito do Acordo de Londres sobre as Dívidas Alemãs (LDA), de   1953. O total a pagar foi reduzido 50%, para cerca de 15 mil milhões de   marcos, por um período de 30 anos, o que não teve quase impacto na   crescente economia alemã.
 - O resgate alemão foi feito por um conjunto de países que incluíam a   Grécia, a Bélgica, o Canadá, Ceilão, a Dinamarca, França, o Irão, a Irlanda,   a Itália, o Liechtenstein, o Luxemburgo, a Noruega, o Paquistão, a Espanha, a   Suécia, a Suíça, a África do Sul, o Reino Unido, a Irlanda do Norte, os EUA e   a Jugoslávia.
 - As dívidas alemãs eram do período anterior e posterior à Segunda Guerra   Mundial.
  - Algumas decorriam do esforço de reparações de guerra e outras de empréstimos   gigantescos norte-americanos ao governo e às empresas.
  - Durante 20 anos, como recorda esse acordo, Berlim não honrou qualquer   pagamento da dívida.
  - Por incrível que pareça, apenas oito anos depois de a Grécia ter sido   invadida e brutalmente ocupada pelas tropas nazis, Atenas aceitou participar   no esforço internacional para tirar a Alemanha da terrível bancarrota em que   se encontrava.
  - Ora os custos monetários da ocupação alemã da Grécia foram estimados em 162   mil milhões de euros sem juros.
  - Após a guerra, a Alemanha ficou de compensar a Grécia por perdas de navios   bombardeados ou capturados, durante o período de neutralidade, pelos danos   causados à economia grega e a pagar compensações às vítimas do exército   alemão de ocupação.
  - As vítimas gregas foram mais de um milhão de pessoas (38 960 executadas, 12   mil abatidas, 70 mil mortas no campo de batalha, 105 mil em campos de   concentração na Alemanha, e 600 mil que pereceram de fome). Além disso, as   hordas nazis roubaram tesouros arqueológicos gregos de valor incalculável.
  - Qual foi a reação da direita parlamentar alemã aos atuais problemas   financeiros da Grécia?
  - Segundo esta, a Grécia devia considerar vender terras, edifícios históricos e   objectos de arte para reduzir a sua dívida.
  - Além de tomar as medidas de austeridade impostas, como cortes no sector   público e congelamento de pensões, os gregos deviam vender algumas ilhas,   defenderam dois destacados elementos da CDU, Josef Schlarmann e Frank   Schaeffler, do partido da chanceler Merkel.
  - Os dois responsáveis chegaram a alvitrar que o Partenon, e algumas ilhas   gregas no Egeu, fossem vendidas para evitar a bancarrota.
  - "Os que estão insolventes devem vender o que possuem para pagar aos   seus credores", disseram ao jornal "Bild".
  - Depois disso, surgiu no seio do executivo a ideia peregrina de pôr um   comissário europeu a fiscalizar permanentemente as contas gregas em Atenas.
  - O historiador Albrecht Ritschl, da London School of Economics, recordou   recentemente à "Spiegel" que a Alemanha foi o pior país devedor do   século XX.
  - O economista destaca que a insolvência germânica dos anos 30 faz a dívida   grega de hoje parecer insignificante.
  - "No século XX, a Alemanha foi responsável pela maior bancarrota de   que há memória", afirmou.
  - "Foi apenas graças aos Estados Unidos, que injetaram quantias enormes   de dinheiro após a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, que a Alemanha se   tornou financeiramente estável e hoje detém o estatuto de locomotiva da   Europa. Esse facto, lamentavelmente, parece esquecido", sublinha   Ritsch.
  - O historiador sublinha que a Alemanha desencadeou duas guerras mundiais,   a segunda de aniquilação e extermínio, e depois os seus inimigos   perdoaram-lhe totalmente o pagamento das reparações ou adiaram-nas.
  - A Grécia não esquece que a Alemanha deve a sua prosperidade económica a   outros países.
  - Por isso, alguns parlamentares gregos sugerem que seja   feita a contabilidade das dívidas alemãs à Grécia para que destas se   desconte o que a Grécia deve atualmentee””

 

 

publicado por Júlio Moreno às 22:56
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De contoselendas a 19 de Novembro de 2012 às 00:01
A alemanha foi o pais mais incumpridor do Sec . XX. Quanto ás exigências gregas à alemanha , estas são ridículas Às vítimas da ocupação nazi na grécia , o governo federal alemão aceitou pagar 115 milhões de marcos em 1960, na condição de que não seriam depois apresentadas reclamações individuais. A grécia aceitou, independentemente do valor poder ser irrisório para os crimes perpetrados , logo a dívida está saldada. O problema da grécia chama-se fakelaki "- corrupção institucionalizada , maus governantes e má gestão dos dinheiros públicos. A dívida devia ser perdoada, a alemanha deveria ficar calada, mas o estado teria de mudar mentalidades que permitem má despesa pública e corrupção.


De contoselendas a 19 de Novembro de 2012 às 00:14
P.S. O ódio não vai deixar criar uma europa unida e o euro vai cair.


De Júlio Moreno a 19 de Novembro de 2012 às 00:50
Tem o meu acordo ContoseLendas ".


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Mais uma vez mão amiga me...

. Um tristíssimo exemplo de...

. A greve como arma polític...

. A crise, o Congresso do P...

. O PRESIDENTE CAVACO SILVA

. Democracia à portuguesa

. ANTÓNIO JOSÉ SEGURO

. Cheguei a uma conclusão

. A grande contradição

. O jornalismo e a notícia ...

.arquivos

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.favorito

. Passos Coelho: A mentira ...

. Oásis

.links

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds