Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007

Coisas que se não dizem… sacos azuis que hoje são peçonha!...

Em tempos que já lá vão, e há muito, infelizmente!, comandava eu uma Companhia numa Unidade do Exército, cuja caserna, (superlotada), era uma autêntica vergonha de sujidade e de humidade nas paredes, (por muito que fosse lavada) quando foi anunciada para muito em breve a visita do general Comandante da Região Militar.


 Comprometido e preocupado, aproveitei a ocasião do almoço na messe de oficiais para falar com o Comandante sobre o assunto tendo-me ele respondido que tratasse de caiar a caserna com os fundos do saco azul que a Companhia deveria ter…


 Surpreendido, indaguei ainda: . “Saco azul? Mas eu nunca ouvi falar nisso!...”


– Vá ao Conselho Administrativo que lá lhe explicam..." - respondeu-me o Comandante, de forma evasiva e dando-me uma pancadinha no ombro.


No final do almoço foi a primeira coisa que fiz.


Dirigi-me ao Conselho Administrativo da Unidade e aí perguntei a um velho e saudoso capitão do QSGE o que era isso do Saco azul da minha Companhia, ao que ele, rindo-se, me respondeu em tom de veras enigmático:


- “Vá ao Primeiro-sargento da sua Companhia e peça-lhe para lho dar…com isso já poderá pintar duas casernas…”.


Foi, pois, com a maior surpresa, que o velho a amigo Primeiro-sargento da Companhia, abrindo o cofre de que eu e ele tínhamos a chave e o segredo mas que eu nunca abrira, retirou de lá de dentro uma considerável soma de dinheiro que disse ser “aquele” o famoso saco azul.


- “Mas como é isso”? - indaguei surpreso e inocentemente. - “O dinheiro nasce aí? Donde vem isso?”.


Então, com a velha sabedoria dos muitos anos de tarimba, ele, sorrindo, respondeu-me :


- “Lembra-se da quantidade de dispensas de fim-de-semana que eu lhe levo para assinar e para o pessoal ir a casa?”


– “Claro que lembro – respondi – e sempre com os fundamentos que me tem explicado, de necessidades várias, de mérito, etc..!”


-”Pois é – respondeu ele – os fundamentos estão todos certos e são verdadeiros, só que as importâncias dos ranchos que seriam consumidos e assim não o são revertem para os “sacos azuis” das Companhias que dispensam o pessoal e todos os meses o Conselho Administrativo nos faz a entrega dessas importâncias. Compreende agora donde vem o dinheiro?”


Mandadas comprar à drogaria da esquina as tintas e os pincéis necessários, abismado e espantado ainda com tamanha e santa ignorância e, sobretudo, com tão indesculpável inocência, devo ter comandado então:


- “ Companhia! Firme”. Mão… pincéis! Esquerda… volver!... Em frente; - caiar!...”.


E a Companhia ficou de tal forma um brinquinho que até foi gabada pelo seu asseio durante a visita que o general nos fez daí a dias!...


E fala-se hoje tanto de sacos azuis e de tantas cores! – É mesmo de quem não sabe o que mais dizer ou não tem memória ou simplesmente quer enganar o Zé Povinho!

publicado por Júlio Moreno às 14:43
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 30 de Dezembro de 2007

A Reforma da Justiça é uma vergonha...

Sou incapaz de entender o alcance da reforma judicial que todos os dias me surpreende pela negativa.


O que está acontecendo apenas se me explicará por duas razões: - libertam-se delinquentes para se beneficiarem as estatísticas europeias e assim se intrujar o Povo e o mundo, mostrando-se um País que não é e para se poupar na alimentação dos reclusos que tem direito a cama mesa e roupa mais ou menos lavada...


O que se pode exigir às polícias?


Que façam de palhaços e de fantoches perante os criminosos com quem se cruzam na rua diariamente?


Pobre País que tais governantes geraste e tens de suportar, restando ver até quando… 


(Motivou este meu "post" a indignação provocada pela seguinte notícia que acabo de ver publicada no PD de hoje e que transcrevo seguidamente:)


 "Morreu amarrado a uma grade: arguidos libertados 2007/12/29 | 21:15


"Quatro jovens estavam em prisão preventiva. Advogado recorreu Uma familiar do homem que morreu amarrado à grade da janela de um café em Borralheira de Orjais, Covilhã, criticou a decisão judicial que libertou os jovens que estavam em prisão preventiva, noticia a Lusa. Os quatro jovens suspeitos do homicídio de João Inácio, 42 anos, encontravam-se em prisão preventiva, no Estabelecimento Prisional da Covilhã, mas foram libertados sexta-feira por decisão do Tribunal da Relação de Coimbra. «Sempre soube que eles poderiam sair a qualquer momento, mas fiquei totalmente surpreendida, pois pela justiça que temos no país, nunca pensei que saíssem tão depressa», disse hoje à Agência Lusa, Cátia Almeida, sobrinha da vítima. Cátia Almeida acrescentou que a família vai aguardar pelo resultado das investigações e do julgamento, esperando que «seja feita justiça, pois eles devem pagar por aquilo que fizeram». «Algum castigo deverão ter, nem que seja já este tempo que passaram na cadeia», frisou, adiantando que o advogado da família da vítima já tinha alertado para a possibilidade de os jovens serem libertados a qualquer momento. A libertação dos suspeitos ocorreu depois de os advogados terem recorrido da medida de coacção aplicada pelo Tribunal da Covilhã que ouviu os suspeitos na sequência dos acontecimentos registados na madrugada do dia 28 de Outubro na aldeia de Borralheira de Orjais, Teixoso, concelho da Covilhã. Os detidos, que foram postos em liberdade na noite de sexta-feira, terão ficado sujeitos a medidas de coacção que se desconhecem. Contactado pela Agência Lusa, Fernando Afonso, pai de um dos jovens, confirmou a sua libertação mas disse desconhecer as medidas de coacção ditadas pelo Tribunal.""

publicado por Júlio Moreno às 16:48
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 29 de Dezembro de 2007

Já nada me espanta!...

São pouco mais ou menos 20h10 deste dia 28 de Dezembro de 2007 e ouço na TV (RTP1) o "pivot" entrevistar um comentador político-economista, para mim desconhecido, sobre o que se passa na Caixa Geral de Depósitos a propósito da actual, e escandalosa!, crise do Millennium BCP.


Discutiam as pressões dos partidos políticos para que não fossem ambos do PS - o partido do governo - os cargos de liderança de ambas as Instituições Bancárias, reclamando o PSD, pela voz do seu eleito Presidente, que não fosse o cargo do novo Presidente da Caixa preenchido por uma entidade afecta ao partido "socrático" de tão triste memória!


Parecia pacífica a discussão e, para além de uma tecnicidade bastante duvidosa por parte do, para mim, desconhecido entrevistado, a dado momento - pasme-se! - este ousou proferir uma curiosíssima frase-comentário a propósito da "legítima" pretenção do Presidente do PSD. - Dizia ele: "... costuma dizer-se que vozes de burro não chegam ao céu mas, pelos vistos, esta chegou!..." querendo, sem qualquer margem para dúvidas e com esta arrogante, estúpida, descabida e malcriada afirmação, uma de duas coisas: - ou, descaradamente, chamar "burro" ao Dr. Filipe Meneses, Presidente do PSD; ou a si mesmo, porque o será de facto ao não se dar conta de que foi a si mesmo que se apelidou de "burro", e correctamente de facto, por não perceber que assim o fazia já que, levado pela paixão clubista que evidenciou, se não ter dado conta do tremendo impropério insultuoso que proferiu em relação a uma pessoa que talvez lhe devesse merecer algum respeito, pelo menos público!


 Ah!... No tempo do Eça de Queiróz, do Ramalho Ortigão "isto" era o suficiente para que alguém mandasse, amanhã pela manhãzinha, os seus padrinhos procurar o "menino" ofensor e malcriado a dim de lhe exigir as necessárias explicações que, a não serem dadas, humilhantemente e no próprio local onde tinham sido proferidas, teriam então de ser defendidas pela força das armas, a tiro ou à espada, que não só à "língua" porque a honra de quem quer que seja não se mancha assim tão impunemente, mesmo que o Ministério Público lhes não dê, como é sua obrigação, os ouvidos que deveria dar...


Tristes tempos estes em que vivemos e em que meia dúzia de emproados e inúteis bem-falantes são doutorados em tudo até mesmo em futebol! e nos atroam os ouvidos com diatribes e disparates como o que acabo de agora relatar...


Mas, - é caso para se dizer que "o tiro lhe terá saído pela culatra", - pois ter-se-á enganado o comentador que venho referindo.- a voz do reclamante terá efectivamente chegado ao céu e Deus, que a ouviu, mandou-lhe dar-lhe, como resposta: - perdoa-lhe Filipe que não sabe o que diz!

publicado por Júlio Moreno às 20:27
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2007

Criminosos e aldrabões de todo o Mundo…

Se a vossa actividade principal é o crime: - o homicídio, a burla, o furto ou o roubo, não hesitem e venham viver para Portugal, preferencialmente para o Porto e Lisboa, pois, neste momento, é, da Europa dos 27, o País que melhor vos poderá acolher, garantindo-vos a impunidade requerida pelo tempo necessário à elaboração da vossa defesa, à destruição das provas que porventura, e por descuido, tenham deixado, à aquisição de testemunhas ou à obtenção do tempo e dos meios necessários à aquisição de outras circunstâncias atenuantes ou mesmo da vossa fuga, isto desde que estas se não relacionem com actividades fiscais ou dinheiros públicos já que aquelas se vêm cada vez mais consolidando na sua função “abútrica” (neologismo derivado de abutre) a fim de obterem os dinheiros necessários ao pagamento de fabulosas pensões de reforma, ao perdão de avultadas dívidas à Banca, à nomeação para chorudos altos cargos de familiares directos ou simplesmente de amigos, à aquisição de frotas de últimos modelos de gama alta para os senhores que desgovernam o País e gostam de mostrar, a Bem da Nação, aquilo que não têm, aquilo que não há e aquilo que, sendo extorquido aos outros, lhes não pertence por direito neste democracia de meia tigela em que vivemos há cerca de 30 anos!

Paralelamente, Pais adoptivos portugueses, não se afeiçoem em demasia aos vossos filhos “adoptados” que a "lei interpretada" não lhes garante a perpetuidade dessa condição já que há por aí uma certa magistratura que, muito à semelhança de quem só vê para a frente e não para os lados e nunca tiveram na instrução primária, e muito menos na faculdade, que se supõe terem frequentado, quaisquer aulas sobre interpretação de textos ou de analogia com outras leis ou princípios, não fazendo, pois, a mínima ideia do que isso é e não distinguindo, por isso mesmo, a diferença entre a vontade real e a vontade tantas vezes (mal) declarada por um legislador menos feliz, decidem incrívelmente a favor da letra que não do espírito das leis que juraram defender a aplicar a bem dos cidadãos que lhes cumpre defender – lembremo-nos da importância da “vírgula” de que, em tempos, já falava o Dr. Almeida Santos
publicado por Júlio Moreno às 18:05
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2007

Curiosas as palavras do Senhor Secretário de Estado da Administração Interna

Ouvi há momentos na rádio a contestação do Senhor Secretário de Estado à justíssima crítica que lhe é feita pelo PSD dizendo que o PS não faz política sobre o sangue derramado quando aquele comentava a onda avassaladora de crimes a que não estávamos habituados e que só eclodiram com o famoso Espaço Shengen que colocou a fronteira de Portugal lá longe, para perto da Ucrânia, da Rússia ou da Roménia…

Compreendemos o alcance da afirmação feita mas não podemos de deixar de a considerar como sendo a mais infeliz de todas as infelizes afirmações que poderia ter feito um membro do Governo consciente.

De facto, esquece o Senhor Secretário de Estado que há 30 anos, aquando da revolução dos cravos, havia uma solução para o Ultramar, solução política que passava pela criação de uma Pátria pluricontinental e não atraiçoava o “sangue” derramado por quantos ao longo dos séculos morreram em defesa da Pátria como veio a acontecer quando o Senhor Mário Soares e companhia resolveram “entregar” o Ultramar aos americanos, russos, cubanos, chineses, e todos os demais gananciosos que, com o seu dinheiro sujo e vesgos interesses, vinham, armando os negros “portugueses” que covardemente assassinaram outros irmãos portugueses como eles, negros e brancos… Regia a orquestra nessa altura um célebre Otelo Saraiva de Carvalho, instrutor da Legião Portuguesa, e uma cambada de troca-tintas, como o almirante vermelho Rosa Coutinho, que esses sim, souberam fazer política e bem suja sobre muito sangue derramado e do qual nunca, por mais que o tentem, conseguirão lavar as mãos…além do Ultramar, lá longe, as FP25, cá bem perto são disso flagrante exemplo!

Foi ou não feita política, suja e torpe política, sobre o sangue derramado ao longo de séculos, Senhor Secretário de Estado? Mas nessa altura não o ouvi falar… ou será que não se deu conta disso?

E já agora, em termos de segurança, quais são as qualificações técnicas dos senhores Ministro e Secretário de Estado? Sempre gostaria de saber…
publicado por Júlio Moreno às 20:32
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Mais uma vez mão amiga me...

. Um tristíssimo exemplo de...

. A greve como arma polític...

. A crise, o Congresso do P...

. O PRESIDENTE CAVACO SILVA

. Democracia à portuguesa

. ANTÓNIO JOSÉ SEGURO

. Cheguei a uma conclusão

. A grande contradição

. O jornalismo e a notícia ...

.arquivos

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.favorito

. Passos Coelho: A mentira ...

. Oásis

.links

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds