Domingo, 4 de Novembro de 2007

Novas suspeitas sobre currículo de Sócrates

Do Portugal Diário da IOL de
2007/11/03 | 16:49
Cabe ao PGR decidir se será aberta investigação ou não

O currículo académico de José Sócrates poderá ser alvo de nova investigação, se assim o decidir o Procurador-Geral da República. Segundo noticia a edição de hoje do semanário Expresso, as novas suspeitas remontam à candidatura do primeiro-ministro a uma pós-graduação no ISCTE (Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa) e foram levantadas por José Maria Martins, advogado de António Balbino Caldeira, autor do blogue doportugalprofundo.blogspot.com e arguido num processo aberto por uma queixa de Sócrates.
De acordo com o Expresso, José Maria Martins alega que José Sócrates, quando se candidatou à pós-graduação do ISCTE, terá incluído no currículo a prática de funções de engenheiro civil na Câmara da Covilhã, entre 1981 e 1987. O advogado disse, citado pelo semanário, que este é «um facto falso» e que, sendo o currículo um dos critérios de admissão ao curso, foi utilizado de forma a induzir o instituto de que seria engenheiro civil.
O Expresso refere ainda que num despacho de 16 de Outubro, Cândida Almeida, directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), deferiu a extracção de uma certidão relativa ao crime de falsificação de documentos e que esta decisão foi remetida para o PGR.
Uma fonte do Ministério Público, consultada pelo Expresso apontou, contudo, que a decisão da directora do DCIAP não significa que existam indícios para que seja iniciada uma investigação.
A Procuradoria-Geral da República disse ao Expresso ainda não ter recebido qualquer despacho de Cândida Almeida, recusando por isso qualquer comentário adicional ao caso.
António Balbino Caldeira foi constituído arguido depois de José Sócrates ter apresentado queixas sobre alusões a um centro de comando e controlo dos media e sobre referências ao MBA do primeiro-ministro.
Soma e segue a saga de Sócrates e o seu curriculum

Caberá agora, e pelo claramente daqui deduzo, ao senhor Procurador da República, que me pareceu ser homem integro e com coragem bastante para casos como estes, que tantos têm já afastado, esclarecer o País, de uma vez por todas sobre se o senhor primeiro e único ministro que hoje tantos bajulam e tantos atacam é, afinal, uma personalidade digna e confiável e não mais uma das que por aí andam, aos pontapés, metendo as mãos pelos pés e os pés pelas mãos.

Acho que já uma vez aqui disse e se o disse me penitencio por assim me repetir:

- não interessa ao povo português que o senhor primeiro ministro seja engenheiro ,médico ou advogado, que seja pedreiro, carpinteiro ou electricista, pastor de cabras ou lavador de automóveis, o que se lhe exige, isso sim, é que seja um homem confiável, íntegro e a qualquer título de indesmentível honestidade o que todas estas histórias parecem não confirmar e, volta e meia, surgirem a abana-lo mesmo.

Quero um primeiro-ministro que nos honre e nos dê credibilidade bastante e a todos, tanto no interior como no exterior, a não um primeiro, único, teimosíssimo e arrogantíssimo ministro que nos envergonhe pelo facto de a eventual falsidade e dúvida do seu proclamado e tão badalado curriculum virem, de quando em vez, à ribalta e ele aceitar essas dúvidas, superiormente sorrindo como se fosse chuva caindo no molhado!...

Nunca nos esqueçamos num de que um bom vigarista terá de parecer a todos que o não é senão a ninguém conseguirá enganar e de que só é bom actor aquele que, no palco, conseguir fazer com que o público se reveja no ambiente do personagem que ele mesmo criar…
publicado por Júlio Moreno às 18:29
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Mais uma vez mão amiga me...

. Um tristíssimo exemplo de...

. A greve como arma polític...

. A crise, o Congresso do P...

. O PRESIDENTE CAVACO SILVA

. Democracia à portuguesa

. ANTÓNIO JOSÉ SEGURO

. Cheguei a uma conclusão

. A grande contradição

. O jornalismo e a notícia ...

.arquivos

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.favorito

. Passos Coelho: A mentira ...

. Oásis

.links

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds